A oliveira.

Símbolo de paz y sabiduría

Descrição

Chegou num avião de passageiros, num pote que Saramago segurou entre as pernas. Era pequena, verde, frondosa: prometia muito, mas não se sabia se se poderia alimentar de terra vulcânica. Conseguiu-o. a oliveira é símbolo de paz e de sabedoria, ramos verdes que são letras sobre o negro da terra vulcânica A oliveira do Alentejo português levanta-se orgulhosa do solo, balança-se com o ar, vê passar as pessoas, Saramago entre elas, e parece prometer que de todas guardará memória. Talvez seja assim. A oliveira não é um ser humano, claro, mas é um ser vivo percorrido por seiva e povoado por folhas. Nunca saberemos o que esse sangue transporta, que diálogos estabelecem entre si os ramos, que relação existe entre eles, o tronco, o solo e o céu para onde apontam. Recolhendo o testemunho de amor que Saramago deixou por estas árvores, considerou-se que uma oliveira, talvez esta, seja a imagem do complexo formado pela casa e pela biblioteca do escritor: a oliveira é símbolo de paz e de sabedoria, ramos verdes que são letras sobre o negro da terra vulcânica. É Lanzarote, é Azinhaga, é Portugal, é Saramago. Biblioteca

Relacionados

Escrever um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Antispam * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Subir

Uso de cookies

Este sitio web utiliza cookies para que usted tenga la mejor experiencia de usuario. Si continúa navegando está dando su consentimiento para la aceptación de las mencionadas cookies y la aceptación de nuestra política de cookies, pinche el enlace para mayor información.

ACEPTAR
Aviso de cookies